quinta-feira, 17 de julho de 2014

Resenha - Labirinto

Título: Labirinto
Autor(a): Kate Mosse
Editora: Em algumas versões Objetiva, outras SUMA.

Sinopse:
Julho de 1209: na cidade francesa de Carcassonne, uma moça de 17 anos recebe do pai um misterioso livro, que ele diz conter o segredo do verdadeiro Graal. Embora Alaïs não consiga entender as estranhas palavras e os símbolos escondidos naquelas páginas, sabe que seu destino é proteger o livro. Serão necessários enormes sacrifícios e uma fé inabalável para preservar o segredo do labirinto - um segredo que remonta a milhares de anos e aos desertos do antigo Egito.
Julho de 2005: durante uma escavação arqueológica nas montanhas ao redor de Carcassonne, Alice Tanner descobre dois esqueletos. Dentro da tumba na qual repousavam os antigos ossos, experimenta uma sensação malignamente impressionante e percebe que, por mais impossível que pareça, de alguma forma, ela é capaz de entender as misteriosas palavras ancestrais gravadas nas pedras. Porém, é tarde demais - Alice acaba de desencadear uma aterrorizante sequência de acontecimentos incontroláveis, e agora seu destino esta irremediavelmente ligado à sorte dos cátaros, oitocentos anos atrás.

Primeiramente é preciso entender que o livro se passa em duas épocas diferentes. A primeira na época das cruzadas e a segunda no presente. O livro se divide em: Prólogo, A Cité na Colina, Os Guardiães dos Livros, A volta às Montanhas, Epílogo, Agradecimentos, Breve Glossário de palavras occitanas e Bibliografia selecionada.
A narrativa envolvente de Mosse em terceira pessoa faz o leitor viajar entre as épocas - o que em momentos pode ser irritantemente emocionante - sem perder o foco. O livro todo conta a jornada de jovem de 17 anos, Alaïs, que recebe do pai um livro, e mesmo sem entender sabe que tem que protege-lo a todo custo, pois nele estão dicas que levam ao Santo Graal, tão cobiçado por todos. E no decorrer da história ela descobre que essa aventura será mais complexa do que imagina, tendo que lidar com situações muito complicadas. Enquanto no presente, Alice Tanner, que se encontra na escavação aos arredores de Carcassonne, descobre uma tumba com esqueletos dentro e isso trás a tona uma série de acontecimentos inexplicáveis envolvendo perseguição e mistério, que no decorrer do livro, mostram um sentido cíclico na história.
Uma história de traição, amor e aventura, que coloca o leitor no lugar dos personagens sem muito esforço, e se não lida com calma pode parecer confusa, pois os vilões vão aparecendo no decorrer da história. E para aqueles que preferem uma leitura direta - pulando os capítulos para saber o que acontece em seguida no passado ou presente - é extremamente recomendado que não façam isso, pois a autora, brilhantemente, coloca informações que levam você a entender vários fatos, sem dá-las facilmente. E mesmo com a sinopse dando a entender que podem haver partes de arrepiar os cabelos da nuca - ou do corpo todo - a história cativa o leitor do início ao fim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário