sexta-feira, 2 de janeiro de 2015

Viagem ao negro 5

  Ele finalmente tomou coragem e parou na frente da "sua" casa. Era estranho como ela parecia ser a única que não era espelhada da que tinha no seu mundo. E além disso o portão não estava trancado - exatamente como a sua ficava sempre. - Ele entrou no portão e pensou em entrar direto, mas hesitou e tocou a campainha. Por fim tocou de novo, e seu sósia abriu o portão.
  Depois de cambalear ao ver alguém exatamente igual a ele - e não era em um espelho - contou tudo que tinha acontecido até os últimos estantes e seu sósia assentiu calado fazendo uma cara de surpreso.
- Você disse que a tem! - disse o sósia dele se referindo a doença.
- Infelizmente... E suspeito que aqui não me darão a cura.
  Por fim estavam os dois sentados no sofá da sala confabulando sobre o destino, mas antes que se lembrassem que era tarde um deles falou.
- Mas a sua mulher, ou a minha... Já não sei mais nada... Acho que tanta coisa aconteceu em período de tempo tão curto que se descobrisse que eu não sou eu, não acharia estranho...
- Está vindo sim! - o morador daquela dimensão lembrou. - Faça o seguinte: encontre-me na fonte aqui perto em 10 minutos.
  Marlon saiu da casa e se dirigiu imediatamente para longe da casa e depois para a fonte que ficava a alguns quarteirões dali. Não demorou muito e o seu sósia apareceu.
- Estive pensando no caminho pra cá.
- No que? - Marlon perguntou.
- Você disse que eu sou sua cópia exata, exceto pela doença, certo?
- Certo. Inclusive sua casa é igual a minha.
- Então já sei exatamente o que fazer! - Marlon assentiu calado e ele continuou - vou me candidatar para ir fora do planeta. Podemos trocar de vidas, acha que consegue?
- E largar tudo para trás?
- Sacrifícios são necessários, lembra? - ele falou se referindo ao sonho da mãe.
Marlon respirou fundo e por fim falou.
- Eu aceito, será nossa vida secreta. - disse com um sorriso marejado.
  Eles se abraçaram e choraram um pouco juntos. Trocariam de lugar e viveriam no lugar do outro secretamente até que achassem uma forma de ajudar todas as pessoas dos seus respectivos mundos.

  Uma semana se passou e eles finalmente se despediram. O sósia de Marlon adentrou na espaçonave, depois de um treinamento secreto enquanto Marlon viveu como ele, rumo ao buraco negro e ao planeta Terra. Poucos dias se passaram depois que Marlon tinha se acostumado a sua vida diferente, e por isso, era como se nunca tivesse saído de casa - afinal só trocava o jeito das pessoas na rua, mas em casa era a mesma coisa. - Ele também ajudou a infectar sua mulher atual para que ambos pudessem viver juntos até o fim da vida.
  Em uma viagem que Marlon fez com sua mulher ele contou a verdade e ela sorriu satisfeita sabendo que aquela seria a mesma coisa que o outro teria feito. E então eles se deitaram no gramado de uma cidade que eles estavam visitando e ficaram olhando as estrelas conversando sobre como estaria a vida do outro lado da galaxia. E na outra galaxia, o sósia de Marlon estava sentado no jardim tomando um café junto com sua mulher, falando juras de amor e se perguntando como estariam todas as pessoas que conhecia, mas sabendo que agora estava onde sempre desejara estar e ajudando a procurar uma cura para a maldita.

Nenhum comentário:

Postar um comentário