sexta-feira, 12 de junho de 2015

Missão dos Ciclos 2

- Qual será minha primeira missão? - Daniel perguntou depois de por uma bermuda branca e uma pequenina camisa de botão branca também.
- Antes preciso dizer te que suas missões sempre serão baseadas em escolhas. A medida que você escolhe, as coisas mudam conforme suas escolhas também mudam. Lembre-se: Cada escolha mudará bruscamente a vida de alguém.
- Tudo bem. - ele disse sem entender direito a dimensão daquela informação.
- Você começará tendo que escolher isso. - O rapaz estalou o dedo e eles estavam em uma rua da cidade. Ele apontou para o alto da árvore e mostrou o gato da senhora Lurdes preso - como ele sempre ficava todo dia 30 de cada mês. - O que você escolhe?
- Eu escolho salvá-lo!
O rapaz assentiu e o gato desceu sozinho e a senhora Lurdes - que tinha saído atrás dele - saiu para pegá-lo.
- Ela não está nos vendo?
- Não, somos invisíveis para todos. Não se preocupe.
Ela pegou o gato e deu um abraço apertado que fez o gato miar alto e entrou.
- Vamos filhinho - ela disse - vamos tomar um banho quentinho. - ela colocou uma panela com água para esquentar. Minutos depois a água fervia ela pegou o gato e o molhou com a água fervente. O gato miava alto como um choro desesperado. Daniel não aguentou olhar e cobriu os olhos.
- Ela não pode fazer isso! Pare sua velha maluca, está machucando o gatinho!
- Não adianta. Você fez a sua escolha, infelizmente o gato sofreu os danos da sua escolha. - o rapaz estalou os dedos e eles saíram da casa.
- Então quer dizer que tudo que eu escolho influencia de alguma forma?
- Sempre. - o rapaz sorriu depois de perceber que Daniel entendeu a importância das escolhas. - Agora vamos para a próxima. - estalou os dedos novamente e eles pararam na frente da casa de Judite, uma amiga dele de mesma idade.
  Eles avistaram um homem parando na porta que tocou a campainha. Tocou de novo. Parecia nervoso para entrar na casa.
- Que dia é hoje? - Daniel perguntou.
- Terça- feira.
- Hoje é o dia que os pais dela chegam tarde.
- O que você escolhe? Vai deixa-la ouvir e abrir a porta para ele entrar e ela não vai ouvi-lo.
- Quero ela não ouça nenhuma das vezes a campainha. Quem quer que seja esse homem terá que voltar outra vez quando os pais dela estiverem em casa.
O rapaz sorriu. Depois de tocar mais uma vez o homem foi embora.
- O que aconteceria se ele entrasse?
- Ele ia falar algumas bobagem e depois causa um trauma irreparável na vida dela. E tome, aqui está sua recompensa pela decisão mais sábia. - entregou uma pequenina medalha oval com a data do dia e o nome de Judite. - Quando você reunir um número significativo, as coisas serão diferentes.

2 comentários:

  1. Quais são suas referências de escritores?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Existem alguns que me identifico bastante. Mas posso dizer que me identifico com escritores como Stephen King, Phillip Pulman, C.S Lewis. (no geral, os escritores fantásticos, é uma lista bem grande)

      Excluir