quarta-feira, 1 de julho de 2015

Tradicional


O tradicional muda. E isso pode ser dito com toda a certeza do mundo.
Esses dias, de dentro do ônibus, enquanto voltava para casa, vi um anúncio da marca Leite de Rosas com dois rapazes abraçados que falava que os produtos eram para todos os tipos de famílias e no seu canto tinha uma data que informava a existência da marca desde 1929. O que me fez, assim como os homens de laranja também fizeram, cair em uma profunda reflexão sobre como tudo, sem exceção, tem que mudar. 
Elas mudam porque são obrigadas. Claro que para melhor, e, porque precisam, mas também porque eram outros tempos. Eram outros tempos. 
Fazendo uma recapitulação dos muitos séculos passados: os guerreiros tinham um incentivo a terem relações entre si, para que assim, algum afeto fosse gerado e dessa forma o desenvolvimento em batalhas seria muito melhor - para protegerem uns aos outros etc.
Caminhando para mais perto no tempo, chegamos às marcas atacando com força incentivando consumo: não pense, não fale, compre, beba, não leia e consuma... Não se esqueça, use, seja... Elas escravizaram muito mais do que muitos homens - simplesmente por poderem durar mais de 100 anos, diferente de nós -. Mas graças a alguém, cujas intenções eram boas, evoluímos para o não aceitar tudo de toda forma nessas propagandas, obrigando as a mudarem suas estratégias e focando mais em atingir de forma sutil o comum: a família, afinal, todos tem uma.
Novamente avançando no tempo, as famílias foram se transformando - pelo menos é isso que querem acreditar, porque já acontecia, só não explicito - homens e mulheres assumiram seus amores por eles próprios e seus semelhantes e ocuparam espaço - e que espaço -. Por fim, as marcas se adaptaram abraçando esses guerreiros enquanto muitos ainda pregam discursos de ódio. Mesmo não sendo o real foco, a mensagem deixa muitas coisas abertas a interpretações das mais variadas. Então façamos como as marcas, vamos pregar o amor para todos - porque é o que todos querem -. E isto posso afirmar com toda a certeza, pois o tradicional muda.

2 comentários:

  1. Achei bem legal essa crônica! E é bem assim, tudo vai se adaptando, não é nem mudar, se adaptar para não perder os lucros.

    http://umaleituraqualquer.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado Gabriel!!! Infelizmente as isso não mudou ne?

      Excluir